O papel da inovação na indústria automotiva

Quando falamos de gestão automotiva, não podemos deixar de citar situações que de alguma maneira levam a indústria a tentar algo novo, tanto para se restabelecer no mercado, quanto para dar uma reviravolta nas vendas.

Quando falamos de gestão automotiva, não podemos deixar de citar situações que de alguma maneira levam a indústria a tentar algo novo, tanto para se restabelecer no mercado, quanto para dar uma reviravolta nas vendas.

No último Congresso SAE Brasil, realizado entre os dias 5 e 7 de outubro em São Paulo, um dos principais aspectos abordados e também demonstrados por muitos dos palestrantes e expositores foi exatamente a importância de se inovar para conquistar e até mesmo transpor obstáculos que possam surgir no meio do caminho da gestão.

Estamos em uma época de necessidade por inovação. O Brasil é hoje o quarto mercado mundial no setor, com investimentos de R$ 25 bilhões que representarão cerca de 5 milhões de veículos produzidos até 2015.

Como manter a sustentabilidade das indústrias? Como suprir as necessidades da cadeia de fornecimento das montadoras para dar vazão à essa demanda? A crescente necessidade de se transpor os altos impostos, os problemas de infraestrutura e até as questões ambientais que estão cada vez mais na mira da indústria, levam à inovação.

Somos criativos a ponto de reinventar a indústria automotiva brasileira? Bom, alguns exemplos já começaram a surgir, como mudança na percepção do design, opções diferenciadas de escolha ao consumidor etc. Mas o que falta, ainda, é a revolução da inovação na gestão.

Não dá para fazer produtos inovadores pensando em gerir a empresa como há 20 anos. Precisamos de gestores inovadores! Você é um deles? Pense nisso!

 

Fonte:
Revista Online  Automotive Business
Opinião: Jeannette Galbinski