O que faz o Vale do Silício ser a área mais produtiva e inovadora do mundo?

Andréia Moraes – Market Intelligence Manager

É com essa pergunta na minha cabeça que fui fazer uma imersão de 15 dias nesse ecossistema. Cheguei com a expectativa de vivenciar toda parte tecnológica que o Vale é famoso por e entender quais seriam as grandes inovações que estão por vir. Mas saio de lá com a percepção que as tecnologias são legais, mas o que faz o Vale ser o Vale são na verdade as pessoas. As inovações são apenas consequência do trabalho de pessoas especiais.

As pessoas naquele lugar são diferenciadas. Não por possuírem um QI altíssimo, o que as diferencia é a forma de enxergar o trabalho. O trabalho não é simplesmente trabalho, é o lugar onde você agrega valor. A forma como você agrega valor pode ser de inúmeros jeitos: construindo um novo negócio, trabalhando em uma grande empresa, investindo ou ajudando outros empreendedores a construir seu próprio negócio ou estudando em centros acadêmicos de ponta para resolver grandes problemas.

O foco de todo mundo é entender como você faz para que algum ser humano (seja ele consumidor, empregado ou cliente) tenha uma vida melhor. Seja reduzindo o tempo de espera (olha a Amazon Go inovando no checkout do supermercado), seja reduzindo empregos repetitivos (por exemplo, milhares de robôs como do Cafe X que irão substituir atendentes), seja aumentando sua renda e possibilitando que você guarde dinheiro (Olivia é um app que trabalha na otimização dos gastos pessoais/rendimentos). São inúmeros exemplos de tecnologias que existem para agregar valor e melhorar a vida das pessoas.

Você pode estar se perguntando se tudo isso não é ruim, porque há um terror sendo feito de que robôs vão substituir os empregos. Não é uma lenda, é uma verdade. Mas isso é verdade apenas para aqueles que têm seu trabalho repetitivo. Isso, na realidade, vai agregar mais para nós, você vai ter mais tempo livre para ser humano de verdade. O diferencial será de quem conseguir se diferenciar do mundo das máquinas, aqueles que possuírem empatia. Se você tem um trabalho que é um checklist (repetido, padronizado, com alta quantidade de dados), uma máquina vai fazer melhor que você. Mas não se sinta sozinho, 47% desses trabalhos serão automatizados até 2030 segundo Oxford. Só que da mesma forma que as pessoas se adaptaram na revolução industrial, elas também irão ter que se adaptar na revolução tecnológica que estamos vivendo.

Não só as pessoas estão preocupadas em agregar valor, como estão pensando em quebrar mercados ao invés de manter os tradicionais. Nessa quebra de mercado, seu pensamento é global – como criar um produto que é escalável globalmente? Aqui vale muito mais a pena você executar seu produto e ter algum MVP rodando do que ter uma ideia incrível. Se você tiver um produto rodando com clientes pagando e pessoas que acreditam em você (monetariamente ou moralmente), você já tem produto com grandes chances de receber investimento. E não venha com um plano de negócio detalhado financeiramente com o retorno sobre seu investimento em um primeiro momento. Não é isso que vai definir se você vai receber investimento. O que vai definir é o impacto do seu produto e se as pessoas estão dispostas a pagar por ele. Se você desvenda esses dois pontos, dinheiro não é um problema. Até porque levantar dinheiro no Vale aparentemente é fácil, difícil é garantir que seu produto vai dar certo.

Um detalhe é que no Vale todo mundo se conhece (tipo morar no interior do estado). Então a reputação que você cria e cultiva é importantíssima para que as pessoas confiem no seu trabalho. Muitas vezes elas não vão te conhecer, mas até você quebrar a confiança delas ou alguém não te recomendar, ela vai querer trabalhar com você.

Para fechar, o Vale consegue unir pessoas que querem fazer diferente, agregar valor, inteligentes, com conhecimento de fácil acesso e que estão dispostas a investir na ideia antes de ver o retorno sobre o investimento. Unindo esse ecossistema, você consegue criar um ambiente onde ideias novas – que melhora a vida de alguém – surjam e que conseguem ser desenvolvida por mais loucas que sejam, já que tem pessoas que apostam nela. No fim, dessas ideias, saem as megainovações que estão mudando o mundo e que fazem as manchetes dos jornais por aí.

Fonte: https://www.linkedin.com/pulse/o-que-faz-vale-do-silicio-ser-area-mais-